sábado, 6 de agosto de 2016

O show de Temer: o show da farsa

Cena do filme O show de Truman: o show da vida
As organizações Globo transformaram a vida de Michel Fora Temer em uma espécie de "show de Truman". O mundo é bom. O Brasil é o paraíso. E tudo funciona perfeitamente. As olimpíadas são o maior espetáculo da Terra, sob a voz emocionada de Galvão Bueno. Até as vaias são editadas e transformadas em aplausos. Cartazes em protesto ao ilegítimo Temer desaparecem num passe de mágica. Manifestações em apoio a Dilma Rousseff se transformam em "ato da CUT e da militância do PT". Todo ato "#ForaTemer é tratado como se fosse uma reunião de meia dúzia de lunáticos, cuja quantidade de participantes houvesse sido extraída de alguma contagem elaborada pela Polícia Militar de São Paulo, ou seja, próxima de zero. Ricardo Noblat certa vez chegou ao cúmulo de publicar em sua coluna, num português pernóstico, bem ao estilo de Temer, esse breve elogio: "Uma coisa que eu jamais observara: como Temer é um senhor elegante. Quase diria bonito". Pois é. Quase um exemplar de literatura parnasiana. Mas ainda que Temer seja o protagonista desse show farsesco oferecido diariamente pela Globo (e similares), o personagem de Truman não é representado por Temer. No mundo encantado de Temer, produzido pelas câmaras de TV em alta definição, Truman Burbank somos todos nós.