quarta-feira, 1 de junho de 2016

A didática do golpe para crianças maduras e adultos infantis

Uma tarde de junho. Ano de 2016. Brasil. Um grupo de crianças joga futebol de salão em um condomínio fechado na cidade do Rio de Janeiro. Céu nublado. Sem chuva. 

MIGUELZINHO — É pênalti!
LUIZINHO —  Como assim? Mas eu nem te encostei... Você caiu sozinho!
MIGUELZINHO — Não interessa. Dá a bola aqui. Vou cobrar o pênalti. 
LUIZINHO — Isso não é justo. Nem foi falta! Não vou dar a bola coisa nenhuma!
MIGUELZINHO — A bola é minha. Eu que mando aqui! Se você não der a bola pra eu bater o pênalti, acabou o jogo.
LUIZINHO — Só porque você é o dono da bola não tem direito de fazer isso. Futebol tem regras! 
MIGUELZINHO — Isso mesmo, o pênalti tá na regra do futebol. Então eu tenho direito de marcar pênalti a hora que eu quiser! Votação. Quem acha que foi pênalti levanta a mão! 
TIME DO MIGUELZINHO (coro difuso)  Votamos sim! Sim, pela minha vitória! Pela minha medalha! Pelo meu pai que comprou a camisa do time! Pela minha mãe que vai servir sanduíche pra todo mundo! Pela minha avó que tá ali vendo o jogo! Pelo meu divertimento! Pela minha alegria! 
MIGUELZINHO — Viu? Resolvido. Votado. Democraticamente. É pênalti.
LUIZINHO — Mas essa votação não é justa! O seu time tem jogador a mais... O nosso nunca vai ganhar numa votação. 
MIGUELZINHO — O que interessa é que a votação foi transparente. Todo mundo que concordava com o pênalti levantou a mão! E disse suas razões. É pênalti e ponto final. Dá a bola aqui.
LUIZINHO — Tá bom! Toma essa bola... tudo bem! Nosso goleiro vai defender... 
MIGUELZINHO — Deixa que eu bato time! Pode deixar comigo... 
LUIZINHO — Pra fora!!! Bem feito... eu sabia que você ia perder!!!! 
MIGUELZINHO — Não, não, não. O goleiro mexeu antes. Não valeu. Vou repetir.
GOLEIRO — Mas eu fiquei parado! Assim não tem graça... Que roubalheira! 
MIGUELZINHO — Vocês que tão de camiseta vermelha é que são ladrões! Nossa camisa é amarela! Igual do Brasil. Oficial da CBF! 
GOLEIRO — Ladrão! Eu fiquei parado! Você isolou a bola por cima do travessão...
MIGUELZINHO — Não me xinga de ladrão não... cuidado... meu pai é delegado! E aqui o juiz sou eu. Vou bater de novo. Dá minha bola aqui!
LUIZINHO — Minha mãe é professora de direito e me ensinou que nenhum juiz pode "julgar em causa própria". Não tinha entendido na hora, mas agora ficou claro. É o que você tá fazendo aqui. 
MIGUELZINHO — Sua mãe é mulher! E mulher não sabe nada. Não viu que o novo presidente só chamou ministro homem. Sabe o que é ministro? É quem sabe das coisas! Dá essa bola aqui.
LUIZINHO — Defendeu o goleiro!!!!!!!! Perdeu! Perdeu! Perdeu!
MIGUELZINHO — Perdi nada... o goleiro tava atrás da linha do gol! Eu vi! Não é, time? Ele defendeu depois da linha... E se a bola passar da linha já era! É GOOOOOOOOOOOOOOOL!!!