sexta-feira, 4 de março de 2016

O que a PF na casa de Lula mostra. Em resposta a Míriam Leitão.

Foto Marcelo Gonçalves/Sigmapress
Não, senhora Miriam Leitão, a Polícia Federal na casa de Lula não "mostra que país não tem intocável". Para que sua afirmação não fosse mais um insulto à inteligência coletiva da nação, teria de satisfazer às seguintes condições, cumulativamente: 

- Lula ser um intocável, o que não faz sentido, uma vez que Lula vem sendo investigado há tempos, muito antes de a condução coercitiva ter sido efetuada, o que consequentemente o exclui da condição de intocável; e
- Ainda que Lula fosse um intocável, o que, conforme demonstrado acima, não é o caso, Lula teria de ser o último dos intocáveis, o que também obviamente não seria o caso.


Seu artigo, senhora Míriam Leitão, é mais um exemplo de sofística a serviço de um partido que representa a hegemonia neoliberal, o capital financeiro e as grandes corporações, veiculada em uma mídia igualmente corporativa. Sua lógica é ideológica. Funciona apenas para os incautos. Se assim fosse, quantos verdadeiramente intocáveis não estariam presos ou sendo processados neste exato momento? O que seria uma contradição, pois então já não seriam mais intocáveis. O seu texto, senhora Leitão, nos conduz ao absurdo. Basta ver a quantidade de intocáveis à solta: Maluf, Cunha, Calheiros, Sarney, Daniel Dantas, os caciques do PSDB, os envolvidos na compra da emenda da reeleição, os grandes sonegadores da Zelotes, os mafiosos do cartel do metrô e dos trens metropolitanos de São Paulo, os integrantes dos escândalos de Furnas e do SwissLeaks-HSBC. A lista não é exaustiva, mas exemplificativa. Os exemplos são intermináveis. E atemporais. O fato é que ainda há uma infinidade de intocáveis no Brasil. O que a "PF na casa de Lula" mostra é apenas que Lula nunca esteve blindado. Que jamais foi um "intocável". Assim como nenhum outro membro de seu partido. Enquanto isso, senhora Míriam Leitão, os intocáveis de sempre continuam soltos e sequer são importunados, seja pela grande imprensa, seja pelo TCU, seja pelo TSE, seja pela Polícia Federal, seja pelo Ministério Público, seja pelo Judiciário. Muito menos pela senhora. É isso que a "PF na casa de Lula", além de demonstrar, escancara.