segunda-feira, 21 de março de 2016

Cabeça de Botelho

Triste ver o que aconteceu em Belo Horizonte durante o espetáculo musical encenado por Claudio Botelho. Triste o ato desse sujeito, que desrespeitou seu público e desonrou a classe artística. Triste vê-lo, ainda por cima, se colocar como vítima ao se comparar com os atores que encenaram Roda Viva, em 1968, quando foram atacados por membros do CCC, no Teatro Oficina. Triste ouvi-lo invocar a liberdade de expressão e a democracia para destilar ódio, intolerância e racismo. É no calor da emoção que o ser humano revela sua verdadeira face. É muito fácil simular a virtude nas águas calmas da razão. Mas o mais triste é constatar que não se trata de um fato isolado. Uma parte significativa da população brasileira, em especial da classe média, ostenta, com todo orgulho, uma "cabeça" de Claudio Botelho.