domingo, 13 de março de 2016

Uma ode ao ódio

Manifestações anti-Dilma no Brasil em 2015

Manifestantes CBF, paneleiros, indignados difusos, revoltados confusos, um misto de micareta, torcida organizada, rolezinho de rico em shopping center, marcha da família com Deus, jornada da juventude, militaristas, cosmopolitas, celebridades vazias, nacionalistas adoradores de Miami, todos entreguistas, meio heavy metal, meio MPB, com pinceladas de rock brasileiro e funk nacional, tudo misturado, tatuagens, selfies, drinks, cornetas, buzinas, gritinhos: uma verdadeira ode ao ódio. Na Zona Sul, o morro não desceu. Exceto para trabalhar, como de costume. No subúrbio do Rio de Janeiro, da Central do Brasil até Piedade, a mesma cidade. Hoje, só a "casa-grande" festejou.