sábado, 19 de setembro de 2015

Por uma superficialidade original

Campbell's Soup I (1968) - Andy Warhol
"Uma vida próspera exige a capacidade de reconhecer quando o noticiário não tem mais nada de original nem importante a dizer." (Alain de Botton)

Informar-se num mundo cada vez mais complexo dá muito trabalho, consome tempo e exige profundidade. Poucas pessoas estão dispostas a isso. Nem mesmo os jornalistas. Portanto, todo cuidado é pouco ao ler os jornais e revistas. Há muita informação tecnicamente incorreta, principalmente em economia, finanças e contabilidade. E uma total falta de relevância nos cadernos de artes. Além das pautas seletivas. 

Como dizia Pierre Bourdieu, a imprensa pratica uma espécie de "censura" ao selecionar as pautas de acordos com seus próprios interesses. O "fast thinking" predomina e se reproduz agora na velocidade da internet. O perigo é ficarmos todos uniformizados e homogeneizados pelas superficialidades alheias. Pela superficialidade de formadores de opinião cada vez mais superficiais. 

Se é para sermos superficiais, se a superficialidade não tem mais cura, ao menos que a superficialidade seja original.  Ao menos que a superficialidade seja nossa. Sejamos superficiais com a nossa própria cabeça. Pensar é sempre estimulante. Quem sabe assim consigamos produzir alguma diversidade e talvez a partir daí comecemos a nos interessar em aprofundar assuntos sobre os quais jamais havíamos pensado. Pode ser uma alternativa.