terça-feira, 18 de agosto de 2015

O paradoxo do trabalhador-consumidor

By Marc Dejong 
"O trabalho é o aspecto dominante da vida da maioria das pessoas. Porém, na maior parte das discussões econômicas, as pessoas são definidas como consumidoras mais do que como trabalhadoras." (Ha-Joon Chang)

A satisfação do consumidor em relação ao preço de um produto quase sempre se dá às custas do salário do trabalhador. Ou de algum emprego que deixa de existir e é substituído por uma tecnologia mais eficiente. Os ganhos de produtividade na maior parte das vezes se dão em detrimento do trabalho e do emprego. Portanto, quanto maior a satisfação do consumidor, menor a do trabalhador. Empresas, quando cortam custos, cortam sobretudo salários e empregos dos trabalhadores que compõem a base de sua pirâmide hierárquica. O paradoxo é que consumidores também são trabalhadores. E vice-versa. No fim das contas, quem paga a conta da redução dos preços é o próprio consumidor, por meio da precarização de suas condições de trabalho. Mas quem se importa. O papel de consumidor se sobrepõe ao de trabalhador. Bom mesmo é comprar mais barato. Satisfação que não tem preço.