quarta-feira, 8 de julho de 2015

Carta aberta à Angela Merkel, assinada por Flassbeck, Piketty, Sachs, Rodrik e Wren-Lewis

Foto Yannis Behrakis/Reuters
Tradução da carta aberta à chanceler Angela Merkel, assinada por Thomas Piketty, Jeffrey Sachs, Heiner Flassbeck, Dani Rodrik e Simon Wren-Lewis, publicada no dia 07 de julho de 2015, pelo portal The Nation: 

"À chanceler Angela Merkel,

A austeridade sem fim, submetida à força pela Europa ao povo grego, simplesmente não está funcionando. Agora, em alto e bom som, a Grécia deu um basta.

Como a maior parte do mundo sabia que iria acontecer, as exigências financeiras feitas pelo Europa esmagaram a economia grega, levaram ao desemprego em massa, a um colapso no sistema bancário e tornaram a crise da dívida externa muito mais grave, com o problema do endividamento crescendo até um percentual impagável correspondente a 175% do PIB. A economia grega agora está quebrada, com suas receitas tributárias despencando, a produção e o emprego deprimidos e os empreendimentos famintos por capital. 

O impacto humanitário foi colossal - atualmente 40% das crianças vivem na pobreza, a mortalidade infantil está nas alturas e o desemprego entre os jovens está próximo de 50%. Corrupção, evasão de impostos e uma contabilidade de má qualidade ajudaram a criar o problema da dívida.

Os gregos cumpriram com grande parte do que a chanceler alemã Angela Merkel chama de austeridade - cortou salários, cortou gastos governamentais, reduziu pensões, privatizou, desregulamentou e elevou impostos. Mas em anos recentes, as séries dos chamados programas de ajuste infligidos à Grécia serviram apenas para produzir uma Grande Depressão, a mais grave crise na Europa desde 1929-1933. O remédio prescrito pelo Ministério das Finanças alemão e Bruxelas sangrou o paciente, mas não curou a doença.

Juntos, clamamos à chanceler Merkel e à troika (grupo formado pelos países credores, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional) que considerem uma mudança de rumo, que evite desastres futuros e permita à Grécia permanecer na zona do euro. Nesse momento, o governo grego está sendo forçado a colocar uma arma na cabeça e puxar o gatilho. Infelizmente, a bala não apenas matará o futuro da Grécia na Europa. O efeito colateral destruirá a zona do euro como um símbolo de esperança, democracia e prosperidade, e ainda poderá levar a consequências econômicas de longo prazo ao redor do mundo.

Para a chanceler Merkel nossa mensagem é clara: nós insistimos que você lidere este ato vital para a Grécia e para a Alemanha, e também para o mundo. Você será lembrada pela história por suas ações nesta semana. Esperamos e contamos com você para dar esse passo ousado e generoso em favor da Grécia, que beneficiará também a Europa e suas futuras gerações.

Atenciosamente,

Heiner Flassbeck, ex-secretário de estado no Ministério das Finanças alemão
Thomas Piketty, professor de Economia da Paris School of Economics
Jeffrey D. Sachs, professor de Economia da Universidade de Columbia
Dani Rodrik, professor de Economia Política Internacional da Fundação Ford
Simon Wren-Lewis, professor de Política Econômica da Universidade de Oxford

Tradução Ulysses Ferraz

Texto original: Austerity Has Failed: An Open Letter From Thomas Piketty to Angela Merkel