sábado, 16 de maio de 2015

Vidas secas

Ilustração de Aldemir Martins


O Brasil está um deserto intelectual. Nossos pensadores desaparecendo. O que testemunhamos todos os dias são economistas obsoletos, artistas frívolos, jornalistas submissos, sociólogos irrelevantes, filósofos ausentes, ambientalistas dogmáticos, juristas gananciosos, cientistas desmotivados. As exceções confirmam a regra. Estamos desaprendendo a pensar. A direita é cega, a esquerda é surda e o centro é mudo. As polarizações são infantis. Os debates maniqueístas. As interpretações reducionistas. A irracionalidade se alastra. O ambiente intelectual está árido. Nossos cérebros estão secando. Como nossos rios. Como nossas vidas.