sábado, 16 de maio de 2015

Sonegação: cada um por si e todos por nenhum

Ilhas Cayman - Paraíso fiscal
Quem afirma que sonega em legítima defesa age da mesma forma que um corrupto. É a mesma lógica: desviar dinheiro para fins pessoais. Ambas as atividades são criminosas e parasitárias. E o argumento de que os recursos arrecadados são mal administrados não justifica o não pagamento de tributos. Até porque são coisas absolutamente distintas.

A arrecadação é um dado objetivo. Um valor definido por lei. A qualidade da gestão pública, por sua vez, é um dado subjetivo. Filtrado pela mídia e pelo interesse pessoal de quem avalia. Se um governo privilegia uma classe em detrimento de outra, a classe menos privilegiada tenderá a avaliar mal a gestão pública. E vice-versa.

Além disso, o Brasil é um país de renda média, mas com alta concentração de renda. A base tributável já é baixa em função do número de habitantes do país. Portanto, o montante arrecadado per capta já é relativamente baixo, em comparação com as necessidades de gastos públicos do país. Com a sonegação nas alturas, essa defasagem aumenta ainda mais. Cada centavo desviado faz falta. É só fazer as contas.