segunda-feira, 18 de maio de 2015

Somos todos culpados

Em tempos de falso moralismo e indignação hipócrita, nada melhor que uma passagem do livro A Queda, de Albert Camus: "Se os proxenetas e os ladrões fossem sempre condenados em toda parte, as pessoas de bem julgar-se-iam todas e incessantemente inocentes. (...) Não podemos afirmar a inocência de ninguém, ao passo que podemos afirmar com segurança a culpabilidade de todos. Cada homem é testemunha do crime de todos os outros, eis a minha fé e a minha esperança."


Doze homens e uma sentença, 1957 - Sidney Lumet