segunda-feira, 18 de maio de 2015

Balas cotidianas

Foto Isabela Kassow
"E o que não tem espada, venda sua vestimenta e compre-a."
(Lucas, 22:36)

Depois do avanço no Congresso Nacional da PEC da redução da maioridade penal, a Bancada da Bala (BB) propõe a redução de 25 para 21 anos a idade mínima para compra de armamentos e o aumento do número de armas e munição permitido para cada "cidadão de bem". A BB propõe ainda o fim dos testes periódicos para que uma pessoa mantenha o porte de arma.

Enquanto nossos congressistas labutam em favor de suas bancadas, as balas reais circulam livres pelos corpos de crianças, cujas vidas são perdidas cotidianamente, silenciosamente. Mas para rotina de nossos legisladores, esse é um cotidiano distante e esquecido. Para o Congresso Nacional, uma vida a menos se paga com a concretização de um negócio a mais.

Afinal, nossos congressistas são hábeis homens de negócios. O parlamento é apenas um pretexto para a ação das bancadas de negócios. Um local fértil para o obtenção de lucros brutos em detrimento de vidas frágeis. De lucros líquidos às custas de mortes secas. De ganhos individuais em troca de perdas sociais. Um templo onde se sacrifica a infância em nome da ganância.