sábado, 16 de maio de 2015

A vida que não vale uma comoção

 Acidente em navio-plataforma da Petrobras
A corrupção é grave. Está por toda parte. No setor público, privado, nas grandes empresas, nas estatais, nas multinacionais, na empresa familiar e no ambulante da esquina. Nos países ricos, pobres e intermediários. No Brasil e fora dele. Hoje, ontem e talvez amanhã. A corrupção deve ser combatida e punida, sem cessar. Mas por mais que gostaríamos que fosse, a corrupção não é a causa da decadência de uma sociedade. Ela é o efeito de uma sociedade decadente, cujos valores estão em crise. Uma sociedade, por exemplo, que dá muito mais destaque à corrupção do que à vida humana. O acidente da Petrobras, que matou cinco pessoas e deixou dezenas de pessoas feridas e algumas desaparecidas não teve tanto destaque na mídia. E já caiu no esquecimento. O que sabemos sobre a BW Offshore, empresa subcontratada, cujo contrato estava irregular? Houve punições? E as vítimas, estão amparadas? Quais as causas do acidente? Houve negligência, imprudência, imperícia? Enfim, sabemos pouco ou quase nada desta tragédia. A morte de trabalhadores não nos escandaliza. A segurança de quem trabalha não nos interessa. O dinheiro vale mais que a vida. (28.02.2015)