segunda-feira, 18 de maio de 2015

A Petrobras e os sucessivos ataques especulativos

Wall Street, New York
Os editoriais da grande imprensa defendem sistematicamente a abertura do pré-sal brasileiro a empresas internacionais. E na surdina, sem que nenhum jornal noticiasse, José Serra apresentou em março projeto de lei que derruba a participação mínima de 30% da Petrobras no pré-sal. Enquanto isso a produção de petróleo e gás natural no pré-sal vem batendo recordes sucessivos. Como afirma o professor Ladislau Dowbor, professor de Economia da PUC/SP, há um ataque especulativo em curso: 

“A visão que temos, em grande parte devida aos comentários desinformados ou interessados da imprensa econômica, é que as flutuações de preços da commodities resultam das variações da oferta e da demanda. Não são mecanismos de mercado que fazem cair o preço para a metade. Isso tem que ser visto pela área política, e não pela econômica. É um sistema especulativo planetário. É a mesma coisa que aconteceu com a degradação do grau de investimento (da Petrobras, em fevereiro). Faz parte de um ataque. Se, com todo o ataque, conseguirem mudar a situação política do país, com a troca de presidente ou o que seja, e conseguirem privatizar a Petrobras, as ações vão explodir e quem tiver comprado na baixa vai ganhar. São os mesmos especuladores. O ataque é esse, é um ataque nacional e internacional. Estão fazendo isso com a Argentina, com a Venezuela, com os países que não se dobraram aos interesses do ‘mercado.”